<< voltar

Número: 125
Data: 18/03/2020
Título: PÓS, PRÉ, PRÓ

--- Gostaria de saber quais as regras para formação de palavras com expressões “pré”, “ante” ou “pós”. Quando se acrescenta hífen ou ocorre aglutinação (como preexistente, em oposição a pós-graduação)? E. B., São Paulo/SP


Vamos acrescentar o prefixo pro/pró, que se encaixa na mesma orientação.


I - Quando tônicos, pós, pré e pró grafam-se separados da palavra seguinte:


O sistema de refeição-convênio surgiu na Europa durante o período de fome e reconstrução do pós-guerra.

Ficam proibidas novas admissões em período pré-eleitoral.

Pré-datar cheques é prática comum em todo o Brasil.

O Estado subsidia um programa pró-criança de aleitamento materno e creches.

A pós-graduação nessa área perdeu o status e o charme que tinha.
 

II - Quando átonos (sons ê e ô fechados), pos, pre e pro associam-se ao radical:


Vive a pospor suas decisões, principalmente as de cunho pessoal.

Predizer catástrofes é uma de suas especialidades.

No Brasil, a época de procriação das aves silvestres vai de setembro a fevereiro.


Entretanto, a regra não é de todo confiável, pois foram oficialmente registradas palavras sem hífen apesar de o prefixo ser pronunciado como tônico, com som aberto. Fiquemos atentos a cinco vocábulos relativamente comuns: preconceber, preexistir, preestabelecer, predefinir, predeterminar:


Toda sua tese foi elaborada com base em ideias preconcebidas.

As condições preexistentes não permitiram à diretoria recém-empossada tomar novos rumos.

O ajuste foi aceito em vista do acordo preestabelecido.

Serão predefinidas as condições em que faremos as negociações.

Todos os passos estão sendo minuciosamente predeterminados.
 

Em suma, é mais seguro recorrer a um dicionário quando surgirem dúvidas.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - linguabrasil@linguabrasil.com.br